Voltemos ao Evangelho!

JERUSALÉM POSTA COMO EXEMPLO PARA O POVO DE DEUS


“Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste!” - Mateus 23:37-37

O fato de muitos não serem salvos não é responsabilidade de Deus. Não foi porque Deus não quis salvá-los, nem porque o sangue de Jesus seria limitado em seu efeito salvador, e não poderia ter salvado a todos.

Salvação é uma aliança de Deus com o homem. Se o homem não quer ser salvo não há como ser feita a aliança salvadora. Jesus somente paga os pecados daqueles que querem que o Senhor faça isso.

Ressalta-se que o sangue, a vida, foi derramado (a) para todos os homens, mas Deus estabeleceu que o homem precisasse aceitar o pagamento substitutivo dos pecados, para tomar posse do direito ao derrame de vida/sangue que Jesus fez.

A aliança salvadora é um acordo de vontades livres, entre Deus e o pecador. Se um pecador “não quer” fazer o pacto/contrato/a aliança com Deus para ser salvo, não haverá salvação dessa pessoa, pois a salvação não é imposta por força “irresistível”, mas somente se o homem quiser ser salvo.

Isso ocorre porque acordo/pacto/contrato/aliança é um ajuste de duas, ou mais, vontades livres. Na aliança salvadora feita por Deus, Ele desejou salvar o pecador, mas se a vontade do homem é não ser salvo, não haverá aliança salvadora porque salvação é fruto de uma aliança e não uma IMPOSIÇÃO de uma vontade irresistível e única da parte de Deus.

Quando uma pessoa aceita o sacrifício de sangue de Jesus, Jesus, por sua vez, assume os pecados dessa pessoa. Isso faz com que a justiça e a vida de Jesus sejam sobre tal pecador e a injustiça e a morte resultantes dos pecados deste pecante sejam pagos com a morte de Jesus, em cumprimento da determinação de morte para quem pecar.


"Mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome" (João 1:12). Aqui os homens aceitam a graça oferecida!

GRUPO ICM BIBLICAMENTE

MARCADORES

aborto Abraão Ágape Agostinho águas Albânia Além da Letra alforria Amor Antigo testamento apocalipse apologética apostasia Àsia Ásia Central Auschwitz Auxílio ao Obreiro avião batatas batismo com Espírito Santo BBC bebida alcoólica Ben Gurion Bençãos besta Biblicamente bois Brasil brecha CALVINISMO Calvino caminhada cananeus carta cerveja cessacionismo clamor colheita comportamento Conhecimento conversão convite corrupção Crente Nominal cristãos cristianismo Daniel Santos David Botelho Deus Conosco devocional diálogo dizimo Dons Espirituais Doutrina ebd Elias ensino escravatura Esmirna EUA evangelho evangelismo exegese expressões idiomáticas fariseus Festa da dedicação ficção filmes filosofia fim Flip Benham fonte fortalecimento Gálatas graça grupo de estudos Habacuc Hebreus 6 história história eclesiástica igreja igreja brasileira Igreja Fiel interpretação Isaías Israel Jerusalém Josenilson Félix Jourdon Anderson Julgamento Kelem Gaspar lava-jato leitura leões liberalismo teológico livramento livre-arbítrio Luciano Subirá Lutero maçã madrugada Marcelo Lyrio Marco Elias Melquisedeque milagre ministério feminino missionários missões missões transculturais mitos Moisés mulheres muro Natal nazismo Nietzsche noiva Noruega novo testamento Obreiro Aprovado Oração Oriente Médio ovelha Palavra palavra revelada palha pão parlamento pastor paz Pecado peixe pentecostais Pentecostalismo perseguição perseguições pobre Pródigo Profecia profecias Promessas questionamentos Quinta medida razão humana Reforma Protestante refugiados religião remédio repreensão retórica revelação rico sabedoria sacrifício de Jesus salmos Salvação Samoa Samuel Santos sangue de Jesus santidade satélite Servas ICM sinais do fim Sofia Müller soldado soteriologia Teologia terrorismo terroristas Tony Sousa trigo Vale verdade vida vida cristã vídeos vinha vinho whatsapp